Notícias

Projeto Pequenos Leitores da FTD Educação abre inscrições para a quarta edição

Data: 18/10/2016

Destinada ao incentivo da leitura na primeira infância, ação que já impactou 10000 educadores e…

Destinada ao incentivo da leitura na primeira infância, ação que já impactou 10000 educadores e crianças, seleciona municípios até 20 de novembro

Ampliar a rotina de leitura nas escolas municipais de Educação Infantil de São Paulo é um dos objetivos do projeto Pequenos Leitores. Resultado de uma parceria entre a FTD Educação e a Comunidade Educativa CEDAC, a iniciativa abre, por meio de edital, as inscrições para a nova edição do biênio 2017-2018. Podem se candidatar – até o dia 20 de novembro – municípios do Estado de São Paulo que estejam a uma distância de até 300 km do centro da capital paulista, tenham até 160 professores em atuação com crianças de 3 a 5 anos, entre outros requisitos disponíveis em edital.

Realizado desde 2012, com edições nas cidades paulistas de Guarulhos, Itatinga e Pratânia e Ferraz de Vasconcelos, Pequenos Leitores atua na formação de professores, coordenadores, técnicos e diretores das escolas de Educação Infantil para garantir, por meio da leitura literária, o ingresso das crianças de 3 a 5 anos na cultura escrita.
“Não dá para mudar uma realidade trabalhando apenas com os professores, precisamos trabalhar em uma escala maior dentro da escola”, afirma Izabel Toro, coordenadora de investimento social privado da FTD Educação. “Para que possa se tornar uma política pública ou fazer parte daquele município, é importante que todas essas instâncias estejam alinhadas, que todos ‘comprem’ o projeto”.
Os próprios professores, muitas vezes, tiveram experiências insatisfatórias com a leitura quando crianças e até mesmo quando adultos, o que dificulta a sua atuação como mediador e formador de leitores. O projeto os aproxima do universo literário, ampliando e qualificando sua experiência como leitores e como formadores de leitores.
“Ao longo dos dois anos de formação, a gente faz uma discussão para que, tanto as escolas como a rede, cheguem a um documento em que elas consigam sistematizar e concretizar a intenção educativa com a leitura literária das crianças”, complementa Sandra Medrano, coordenadora pedagógica da iniciativa na CE CEDAC.
“Além de incentivar o hábito e o interesse pela leitura o projeto está alinhado com ações do Poder Público, voltadas para garantir a plena alfabetização das crianças, o que é fundamental em qualquer movimento que pretenda ser efetivo na promoção da leitura”, completa Izabel. A última edição, em Ferraz de Vasconcelos, recebeu investimentos do Fundo Itaú Excelência Social.

Informações e detalhes estão disponíveis aqui.

ma

Márcia Kupstas – 30 anos

Data: 15/6/2016

Para comemorar 30 anos de carreira, a escritora Marcia Kupstas lança o livro Uma amizade de…

Para comemorar 30 anos de carreira, a escritora Marcia Kupstas lança o livro Uma amizade de ouro

Em sua 13a obra editada pela FTD Educação, a autora relata os fortes laços entre uma menina e seu cachorro, em uma aventura por diversos pontos turísticos de São Paulo, como o Cemitério da Consolação e o Largo Santa Cecília.

Uma das autoras mais lidas pelos adolescentes no país, Marcia Kupstas completa 30 anos de carreira em  2016 e, para celebrar sua trajetória bem-sucedida, lança Uma amizade de ouro. Formada em Letras,  professora de Literatura e descendente de lituanos e russos, Marcia Kupstas começou a escrever na  adolescência. De lá para                                                                                   cá, não parou mais e, hoje, tem uma centena de obras no currículo.

Neste romance, o forte laço afetivo entre uma menina de 12 anos e seu cachorro da raça pit bull é o fio  condutor da narrativa, que aborda temas como lealdade e confiança no cenário da grande cidade de São  Paulo, com seus moradores, a ocupação dos espaços vazios e a diversidade presente no centro. “É um  manifesto de amor e solidariedade”, diz a autora.

Cleide está triste com a separação dos pais. Para que a garota não fique sozinha, a mãe contrata a sobrinha  como babá. Mas Cleide fica inconformada, pois está prestes a completar 13 anos. E a sorte de Cleide só  piora: em uma tarde, enquanto o pit bull Gold, o cachorro da família, escapa e faz festa na rua, uma vizinha  assustada chama o Corpo de Bombeiros para prendê-lo. Na tentativa de proteger o animal, em um impulso,    Cleide foge com ele. Os dois vão parar no centro da cidade de São Paulo, passando pelo Elevado Costa e  Silva,  pela Avenida São João, pelo bairro de Santa Cecília e pelo Cemitério da Consolação.

Com pitadas autobiográficas, a obra foi inspirada em uma situação vivida pela autora. Apaixonada por cachorros, ela também sofreu com uma vizinha que implicava com o animal. Para construir a narrativa, Marcia fez um curioso processo de pesquisa de campo, visitando, revisitando e fotografando pontos característicos da capital paulista, os quais foram incorporados na história, como o Cemitério da Consolação, o Elevado Costa e Silva, o Largo do Arouche, o Largo Santa Cecília e até o bairro de Guaianazes. As fotos não fazem parte do livro, mas são a base das ilustrações de Jan Limpens, quadrinista e ilustrador austríaco estabelecido no Brasil. Entre seus trabalhos está tira El Pablo e El Diablo.

Trajetória de sucesso – adaptações, premiações e centenas de obras

Trinta por três! Este aniversário de três décadas agregou três fatores importantes: a sorte, que me levou a investir na carreira no momento certo, com livros expressivos para aquele tempo; o talento, que é inato e condição básica para qualquer artista desenvolver sua obra; e a determinação em usar meu tempo em escrever o máximo possível”. É assim que Marcia Kupstas define sua relação com a literatura, as letras e o universo infantojuvenil. A autora tem como referências Edgar Allan Poe, D. H. Lawrence, Graham Greene, John Steinbeck, Agatha Christie, Conan Doyle, Ernest Hemingway, José Mauro de Vasconcelos, Graciliano Ramos, entre outros. Contabiliza ainda sete premiações, entre elas um Jabuti, por Eles não são anjos como eu (2004).

Crescer é perigoso (1986) foi sua obra inaugural, seguido por É preciso lutar!, do ano seguinte. Primeira obra editada pela FTD EducaçãoÉ preciso Lutar! foi precursor no debate sobre meio ambiente na literatura infantil e ganhou prêmio da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ) em 1988.

“O que me levou a esse enredo foi um ato real. Li, em uma notícia de jornal, que o cineasta Roberto dos Santos (1928-87) se amarrou a uma árvore diante de sua casa, para impedir que ela fosse cortada. Simpatizei com sua atitude e a usei como inspiração”, conta Marcia.

Pela FTD Educação, a autora publicou outas 12 obras, entre as quais há adaptações de clássicos, histórias juvenis sobre amor, família, tecnologia, questões comportamentais.

EO misterioso baú do vovô, por exemplo, faz uma homenagem aos imigrantes no Brasil, ao contar a história de duas crianças que descobrem em um porão muitas lembranças de seu avô. Para a coleção Almanaque dos Clássicos da Literatura Universal, Marcia traduziu e adaptou Os três mosqueteiros, de Alexandre Dumas, e Sherlock Holmes – Casos extraordinários, de Sir Arthur Conan Doyle. Também publicou A namorada de Camões.

 Sobre o ilustrador

 Limpens nasceu em Viena, na Áustria, em 1970. Ainda jovem começou a aventurar-se em terras desconhecidas – Índia, China, Paquistão e Oriente Médio. Veio para o Brasil, onde conheceu sua esposa, com quem tem dois filhos, e fixou residência em São Paulo. Passou, então, a desenhar quadrinhos e a ilustrar livros, revistas e outras publicações nacionais e estrangeiras. Além disso, colaborou para o extinto caderno Folhateen, do jornal Folha de S.Paulo, com a tira El Pablo e El Diablo.

det_opee

FTD Educação firma parceria com a OPEE

Data: 14/6/2015

Metodologia busca incentivar alunos a desenvolverem seus projetos de vida.

A FTD Educação acaba de firmar uma parceria com a Metodologia OPEE – Orientação Profissional, Empregabilidade e Empreendedorismo, que confirma ainda mais o seu compromisso com o futuro de nossos estudantes. Desenvolvida pelo autor, palestrante, psicoterapeuta e professor Leo Fraiman, esta proposta pedagógica tem como objetivo contribuir para o autoconhecimento de crianças e jovens e orientá-los, desde cedo, na escolha de seus projetos de vida.

A metodologia, que agora passa a ser editada e distribuída pela FTD Educação, contempla todos os níveis de ensino, desde a Educação Infantil até o Ensino Médio e trabalha temas como profissões, carreira e empregabilidade, educação financeira e empreendedorismo. Estes materiais buscam dar maior sentido a todo o conteúdo pedagógico, incentivando os alunos a ter foco em escolhas mais assertivas para o futuro.

Conheça mais sobre a Metodologia OPEE.

Para mais informações, entre em contato com nossa Central de Atendimento, pelo telefone 0800 772 2300 ou pelo e-mail central.atendimento@ftd.com.br.

Com informações da Assessoria de Imprensa.

 

Tags:

det_rev_machado_assis

As cores da escravidão na Revista Machado de Assis

Data: 23/11/2015

Livro de Ieda de Oliveira é selecionado para revista da Fundação Biblioteca Nacional.

Ieda de Oliveira durante o lançamento de As cores da escravidão em 2013.

A obra As cores da escravidão, de Ieda de Oliveira (foto), foi selecionada para integrar a 7ª edição da Revista Machado de Assis. Realizada por meio de uma parceria entre a Fundação Biblioteca Nacional e o Instituto Itaú Cultural, a revista reúne traduções de autores brasileiros e tem como objetivo difundir e estimular a publicação do livro brasileiro no exterior

Em sua página do Facebook, a autora se diz “feliz e honrada” com a novidade. E não é para menos. A obra vem colhendo vários frutos desde seu lançamento pela FTD Educação, em 2013: integrou o catálogo White Ravens 2014, que traz o melhor da produção de literatura infantil e juvenil no mundo, recebeu o Selo Altamente Recomendável da FNLIJ 2014 na Categoria Jovem e ficou em terceiro lugar no Prêmio Brasília de Literatura 2014 na Categoria Juvenil.

As cores da escravidão traz a história de Tonho, um garoto que sonha com uma vida melhor e, embalado pelas histórias de seu avô, convence seu amigo João a seguirem um gato (homem que recruta trabalhadores, servindo de intermediário entre o empreiteiro e o peão) que aparece na cidade. Porém, o sonho dos meninos transforma-se em pesadelo ao se depararem com uma realidade dura e triste. Uma história sobre inocência roubada, infância escravizada, mas também, sobre esperança, compaixão, amizade e amor.

Confira As cores da escravidão na Revista Machado de Assis.

Tags:

det_jabuti-premiados-2015

Obras da FTD Educação vencem o Jabuti

Data: 19/11/2015

Por Toda Parte e Memórias quase póstumas de Machado de Assis estão entre as vencedoras da 57ª edição do prêmio.

As obras Memórias quase póstumas de Machado de Assis, de Álvaro Cardoso Gomes, e Por toda parte, de Solange Utuari, Daniela Libâneo, Fábio Sardo e Pascoal Ferrari, publicadas pela FTD Educação, foram as terceiras colocadas, respectivamente, nas categorias Didático e Paradidático e Juvenil do Jabuti, considerada a premiação máxima de literatura no país. Os vencedores das 27 categorias da 57ª edição do prêmio foram anunciados hoje, dia 19, após a apuração na sede da Câmara Brasileira do Livro (CBL), em São Paulo.

A FTD Educação também concorria ao prêmio nas categorias Infantil Digital com as obras Branca de medo, de Cláudio MartinsChapeuzinho adormecida no país das maravilhas, de Flávio de SouzaO jogo do vai e vem, de Flávia Muniz, e Show de Bola, de Jonas Worcman de Matos e José Santos; Adaptação, com O morro dos ventos uivantes, de Lígia Cademartori, e Infantil, com O pequeno samurai, de André Kondo.

No dia 3 de dezembro acontece a última etapa do prêmio. Durante a cerimônia de premiação dos vencedores, serão anunciados os prêmios máximos do Jabuti para Livro do Ano Ficção Livro do Ano Não Ficção.

Clique aqui e confira os vencedores em cada categoria.

Quer saber mais sobre o Prêmio Jabuti? Conheça o site oficial.

Tags: