Releases

capas_carnaval2

Carnaval: Você vai fantasiado de quê?

Data: 12 de fevereiro de 2015

Obras da Editora FTD inspiram o traje para a festa mais irreverente e animada do…

Obras da Editora FTD inspiram o traje para a festa mais irreverente e animada do Brasil

12 de fevereiro de 2015 – A alegria das crianças no período de Carnaval é, sem dúvida, poder se transformar nos personagens que fazem parte do imaginário infantil. Fadas, piratas, princesas e bruxas, entre tantos outros…A criatividade  não tem limite.

E para tornar a festa ainda mais divertida, a dica da Editora FTD é aliar as fantasias à literatura. Que tal oferecer à criança um livro para combinar com a roupa e incentivar a imaginação? Confira algumas sugestões:

Índio

Além de terem uma data especial em abril, os primeiros habitantes do país podem ser homenageados também no Carnaval. E para deixar as crianças no clima, uma boa pedida é Contos dos Curumins Guaranis, de Jeguaká Mirim e Tupã Mirin. O livro apresenta oito histórias dos jovens autores indígenas que mostram um pouco do nhande reko (modo de vida) do povo guarani.

Bailarina

Para as meninas que adoram dançar e já pediram aos pais a fantasia de bailarina, uma obra que tem tudo a ver é A bailarina encantada, de Bruna Dias do Carmo Costa. Na história, a menina Lia encanta a vida dos pais e recebe o carinhoso apelido de Pretinha. Um dia, ganha uma caixinha de música de presente e fica fascinada com a bailarina que dança ao ritmo de uma suave melodia. Com a morte do pai, mãe e filha são obrigadas a trabalhar na lavoura para obter o próprio sustento. Apesar da vida dura, a menina sonha em ser bailarina.

Jogador de Futebol

Alguns meninos adoram tanto o esporte que têm como maior desejo ter o futebol como profissão. Mas, enquanto a hora não chega, é possível adotar a fantasia do jogador famoso no Carnaval. E para acompanhar o uniforme, a dica é O fantasma da segundona, de Menalton Braff. O livro se desenvolve em torno do famoso atleta Kamanga e dos efeitos que seu estilo de vida provocam na família.  Contratado para salvar o Clube Esportivo Planalto, que estava na zona de rebaixamento, ameaçado de cair para a segunda divisão, Kamanga e a família se mudam para uma nova cidade. Lá, seu filho Maurício experimenta as delícias e aflições de ser filho de um atleta famoso. Na escola, é paparicado pelos colegas. Até que o time começa a perder – e a situação muda.

Alice no país das maravilhas

A famosa personagem de Lewis Carroll pode fazer a alegria da meninada com seu visual lúdico e doce. E para as garotas que escolheram se travestir da personagem, um bom presente é a edição 2010 da obra, com tradução de Ligia Cademartori. O livro, com ilustrações de Marilia Pirillo, reconta, de forma leve e divertida, a história da garota que decide correr atrás do coelho branco atrasado.

 

Editora FTD
Assessoria de Imprensa: Ricardo Viveiros – Oficina de Comunicação
Gerente de Contas: Ana Claudia Bellintane
ana.claudia@viveiros.com.br
Atendimento: Mariana Velozo
mariana.velozo@viveiros.com.br
Tel: (11) 3675-5444
Site: www.viveiros.com.br
Twitter: @RVComunicacao
Facebook: Ricardo Viveiros Oficina de Comunicação

Inserção de tecnologia nas escolas exige investimentos das editoras em serviços especializados

Data: 9 de fevereiro de 2015

Suporte e oferta de experiências enriquecedoras aos professores ajudam instituições a absorver novas possibilidades pedagógicas….

Suporte e oferta de experiências enriquecedoras aos professores ajudam instituições a absorver novas possibilidades pedagógicas.

 

A transformação da dinâmica das salas de aula impulsionada pela inserção dos recursos digitais e tecnológicos está apenas no começo. Enquanto algumas instituições já adotam tablets e quadros interativos, outras estudam a possibilidade.

O cenário deve sofrer alterações em breve. Sinal disso é o Programa Nacional do Livro Didático 2015 (PNLD), que distribuirá livros digitais e conteúdos multimídia aos estudantes do Ensino Médio. Ter o material disponível, entretanto, não é tudo, conforme explica o gerente de Inovação e Novas Mídias da Editora FTD, Fernando Fonseca: “Para utilizar recursos digitais com seus alunos, o professor terá que, além de providenciar o acesso aos dispositivos (computadores, tablets, redes, internet etc), alterar as dinâmicas de sua aula”.

Por isso, oferecer apoio aos docentes nesse processo é fundamental. Fonseca conta que apesar de a FTD ter uma área estruturada com mais de 50 profissionais especializados em novas mídias, os maiores investimentos da empresa estão voltados para a área de serviços.

“As crianças de hoje desenvolvem, já nos primeiros anos, novas habilidades e competências relacionadas ao mundo digital. Elas chegarão às escolas com um repertório fantástico. O grande desafio será canalizar esses saberes para  a aprendizagem sistematizada. Temos a convicção de que o processo de inovação pedagógica acarretará uma profunda transformação na educação escolar, como já ocorreu em outras áreas de atuação humana com a chegada das tecnologias de informação e comunicação. A escola precisará de parceiros que a ajudem, que deem suporte e  que ofereçam soluções e experiências enriquecedoras aos professores”, diz.

Cedo ou tarde, todas as escolas serão personagens desta transição, que, segundo o especialista, é algo inevitável e importante para que o ambiente escolar possa se aproximar da realidade dos alunos.

“Antes de mais nada, trata-se de não desperdiçar um importante repertório das crianças e jovens que pode, e deve, ser aproveitado e canalizado para a aprendizagem escolar sistemática”. Segundo Fonseca, esse repertório é constituído de um grande número de novas estratégias, sendo que algumas de maior interesse para a educação são: (a) estratégias de obtenção, avaliação e seleção de informação, (b) de produção e disseminação dessa produção em várias esferas de circulação contendo opiniões, ideias, perspectivas, julgamentos, questionamentos e, por fim, (c) de relacionamento, troca e cooperação em rede.

“Isso tudo constitui um novo ambiente para o desenvolvimento sócio-cognitivo e essa é a grande importância das tecnologias digitais nas salas de aula”, diz Fonseca.

Desenvolvimento de novas mídias – Há pelo menos duas décadas, a FTD identificou que o uso das tecnologias na educação deixou de ser mera curiosidade para tornar-se um dos pontos fundamentais da agenda das escolas e centros de pesquisa sobre educação. Com isso, passou a investir em pesquisa e desenvolvimento de produtos e serviços na área.

Hoje, todas as coleções de livros didáticos da editora têm versão digital e as coleções mais importantes têm versões digitais interativas, com vídeos, imagens animadas e galerias, entre outros recursos. Ao todo, são cerca de 750 livros digitais, 50 deles interativos. Além disso, foram lançados 115 livros digitais de literatura e paradidáticos, dos quais 18 são interativos.

 

Editora FTD

Assessoria de Imprensa: Ricardo Viveiros – Oficina de Comunicação.
Gerente de Contas: Ana Claudia Bellintane
ana.claudia@viveiros.com.br
Atendimento: Mariana Velozo
mariana.velozo@viveiros.com.br
Tel.: (11) 3675-5444
Site: www.viveiros.com.br
Twitter: @RVComunicacao
Facebook: Ricardo Viveiros Oficina de Comunicação

conversa-cidadania

Coleção “Conversas sobre cidadania” debate temas como dinheiro público e sustentabilidade com a garotada

Data: 9 de fevereiro de 2015

Com temas muito atuais, no momento em que discute ética e sociedade, a Editora FTD…

Com temas muito atuais, no momento em que discute ética e sociedade, a Editora FTD lança dois novos volumes e renova toda a coleção, com novo projeto gráfico, seções e imagens.

3 de fevereiro de 2015 – Falar sobre cidadania com crianças e adolescentes é uma tarefa árdua. Sem a adequada apresentação e abordagem, torna-se cansativa e não prende a atenção da garotada. A coleção paradidática Conversas sobre Cidadania, de Edson Gabriel Garcia (Editora FTD), acaba de crescer, com o lançamento de dois novos volumes: Dinheiro Público e Empreendedorismo e Sustentabilidade. Totalizando agora nove obras, estimula, através de histórias desenvolvidas a partir do cotidiano escolar, a reflexão e o debate dessas questões entre os estudantes, de forma leva e natural.

“São temas atualíssimos, presentes no cotidiano de todos nós, como o dinheiro público, tão mal usado no País, e a questão da sustentabilidade, com uma abordagem que  aposta em saídas sociais que respeitem as individualidades, o meio ambiente e o crescimento econômico. Ambos são assuntos inéditos em obras para jovens, com abordagem bem próxima do nosso cotidiano”, destaca o autor.

Dinheiro públicoO que é, de onde vem e para onde vai conta a história dos habitantes do bairro Nova Esperança. Ao perceberem que a chuva no local não para, os moradores passam a temer o pior, o que de fato acontece: um córrego, há muito tempo acomodado, transborda. Sem ter aonde ir, as pessoas procuram abrigo na escola local. A prefeitura, além de não resolver o problema, construía um viaduto caríssimo. Dessa forma, a comunidade mobiliza-se para exigir o bom uso do dinheiro público.

O volume Empreendedorismo e sustentabilidade – valores, escolhas e projeto de vida acompanha a iniciativa de uma diretora de escola que incentiva mães de alunos a criarem um negócio próprio com seu talento para trabalhos artesanais. O livro fala do empreendedorismo social, movimento que considera gerar rendimentos, ao mesmo tempo em que muda a vida de pessoas de comunidades pobres. O tema ganha foco ainda mais atual ao tratar também da sustentabilidade.

Garcia explica que o cenário de quase todos os livros  da coleção é formado por duas bases: um núcleo na comunidade e outro na escola. “Nesta, porque é o local da aprendizagem por excelência, da discussão e da construção do conhecimento. Muitas escolas  abrem-se à comunidade e fazem excelente parceria com ela. Comunidade, porque, para além da escola, é nela que a vida acontece, os problemas aparecem e as soluções também. E, claro, por eu ter sido professor e diretor de escola – por opção profissional –, este é um cenário que conheço muito bem. E sua relação com a comunidade também”.

Edições renovadas – Além dos dois lançamentos, a coleção Conversas sobre Cidadania conta com sete outras obras: Uma conversa de muita gente, De olhos bem abertos, A febre do planeta, O jeito de cada um e No mundo do consumo, destinadas ao Ensino Fundamental I; e As caras da violência e Vivemos juntos, para o Ensino Fundamental II. Todas elas ganharam edições renovadas, com novos projetos gráficos, seções, glossário e fotos.

“Atualizamos os textos, quando necessário, acatando sugestões, de olho nas questões mais urgentes da atualidade. Foi um processo longo, pois são muitos livros, mas muito prazeroso”, explica Edson.

Para ele, crianças e jovens têm prazer em debater os temas propostos pelas obras. “Crianças e jovens adoram literatura e, não tenho dúvidas, gostam muito desse tipo de livro, cuja temática o introduz na cidadania real, ativa”, observa.

 

O autor

Edson Gabriel Garcia nasceu em Nova Granada (SP). Foi para São José do Rio Preto, onde fez o curso de Pedagogia. Em São Paulo, onde mora até hoje, foi professor, coordenador e diretor de escolas.
Cursou pós-graduação em Educação e Comunicação. É autor de livros didáticos de Língua Portuguesa e de paradidáticos sobre cidadania e valores para alunos das séries iniciais do Ensino Fundamental.
Escreveu diversos livros para crianças e jovens, dentre eles O diário de Biloca, Treze contos, O tesouro perdido do Gigante Gigantesco, Sete gritos de terror e as coleções Tantas histórias e Meninos & Meninas.

 

Dinheiro Público
Autor: Edson Gabriel Garcia
Ilustradora: Tel Coelho
Páginas: 64
Recomendação: a partir do 6o ano
Preço sugerido: R$ 34,00

 

Empreendedorismo e sustentabilidade
Autor: Edson Gabriel Garcia
Ilustradora: Psonha Camacho
Páginas: 64
Recomendação: a partir do 6o ano
Preço sugerido: R$ 34,00

 

Editora FTD
Assessoria de Imprensa: Ricardo Viveiros – Oficina de Comunicação
Gerente de Contas: Ana Claudia Bellintane
ana.claudia@viveiros.com.br
Atendimento: Mariana Velozo
mariana.velozo@viveiros.com.br
Tel: (11) 3675-5444
Site: www.viveiros.com.br
Twitter: @RVComunicacao
Facebook: Ricardo Viveiros Oficina de Comunicação

 

brinquedos e brincadeiras1

Roteiro literário para celebrar os 461 anos de São Paulo

Data: 23 de janeiro de 2015

Conheça os lançamentos da Editora FTD que têm tudo a ver com os pontos turísticos…

Conheça os lançamentos da Editora FTD que têm tudo a ver com os pontos turísticos de uma das maiores cidades do mundo

No próximo dia 25, a cidade de São Paulo completa 461 anos, e para celebrar a data, a Editora FTD separou alguns lançamentos que vão ajudar residentes e visitantes a apreciar melhor alguns dos principais pontos turísticos da eterna ‘cidade da garoa’.

 

Avenida Paulista

 Se tem uma palavra que define São Paulo é diversidade e quem visita a Avenida Paulista pode ter um bom exemplo disso. Bastaparar e observar por alguns minutos para ter um retrato geral da população.

Por isso, uma boa dica para tornar o passeio ainda mais interessante e aguçar a visão para as particularidade de cada pessoa é a obra Qualquer Coisa, de Fernando Bonassi. Paulistano do Bairro da Mooca, ele é considerado um dos autores mais originais, sofisticados e produtivos em atividade no país. No livro, Bonassi apresenta narrativas breves e minicontos que revelam nossos vícios, virtudes, amores, paixões, pudores e despudores.

Parque do Ibirapuera

Em meio à toda agitação da cidade, o Parque Ibirapuera é uma excelente opção para quem quer relaxar ou praticar atividades físicas. Além disso, é o espaço ideal para se divertir com as crianças perto da natureza. Brinquedos e Brincadeiras, de Roseana Murray, pode servir de guia para atividades superdivertidas. A obra reúne poemas sobre cabra-cega, amarelinha e pular corda, entre outras. O parque também abriga o Museu Afro Brasil, que conta com um acervo de mais de 5 mil obras da cultura africana e afro-brasileira. Mas antes de visitá-lo, vale a pena conferir o livro Histórias Africanas, de Ana Maria Machado, para entrar no clima. A renomada autora reconta quatro histórias que revelam um pouco da riqueza cultural dos povos africanos.

Theatro Municipal

Além de uma arquitetura de tirar o fôlego, o Theatro Municipal tem uma programação que traz grandes espetáculos mundiais. Para quem já gosta, ou tem interesse em conhecer um pouco mais a música erudita, uma boa pedida é a coleção Música clássica em Cena. Ela é composta pelas óperas A flauta mágica, de Mozart, Turandot, de Puccini, Aída e La traviata, de Verdi e pelo famoso balé O lago dos cisnes, de Tchaikovsky. Todas recontadas especificamente para o público infantojuvenil.

Cada livro vem acompanhado de um CD de áudio com algumas faixas dessas reconhecidas canções para serem apreciadas.

Museu da Língua Portuguesa

Amantes ou não do nosso idioma, o Museu da Língua Portuguesa não deveria faltar no roteiro de nenhum turista. O espaço traz uma proposta diferente e interativa que agrada visitantes de todas as idades.

Por isso, a dica para aquecer o passeio são lançamentos que citam dois grandes autores: A namorada de Camões, de Marcia Kupstas e Memórias quase póstumas de Machado de Assis, de Álvaro Cardoso Gomes. No primeiro, uma jovem enfrenta um dilema semelhante ao que supostamente enfrentou o poeta português Luís de Camões. Já no segundo, a história de um dos maiores escritores brasileiros é recontada entremeando fatos reais e ficcionais.

Bairro da Liberdade

Exemplo claro da diversidade de São Paulo é o Bairro da Liberdade, conhecido como o maior reduto da comunidade japonesa na cidade. A decoração oriental e o comércio dão a impressão de que de fato se está em outro país.

E uma boa opção de leitura para o trajeto até lá é O Pequeno Samurai, de André Kondo. Na obra, Yuji narra como descobriu, com a ajuda de seu avô, que era um pequeno samurai e como isso o ajudou em sua longa jornada rumo ao Brasil. De forma sensível e emocionante, o menino descreve como foi a despedida de sua terra natal, a aventura de viajar de navio até o outro lado do mundo e a descoberta de que no Brasil também existiam samurais.

Museu do Futebol

Parada obrigatória para os amantes de esporte, o Museu do Futebol tem atrações multimídia e interativas que contagiam qualquer um.

E as sugestões de livros que têm tudo a ver com o passeio são os lançamentos QuadradoMingo, de Flavio de Souza e O fantasma da segundona, de Menalton Braff que trazem o universo futebolístico de diferentes pontos de vista.

A obra de Flavio de Souza retrata o esporte a partir do personagem Mingo, um garoto que gosta tanto de futebol que até criou um dicionário terminológico futebolístico, apresentado ao longo da narrativa. Já O fantasma da segundona, mostra os reflexos familiares dos altos e baixos dos astros do esporte.

Editora FTD

Assessoria de Imprensa: Ricardo Viveiros – Oficina de Comunicação
Gerente de Contas: Ana Claudia Bellintane
ana.claudia@viveiros.com.br
Atendimento: Mariana Velozo
mariana.velozo@viveiros.com.br
Tel: (11) 3675-5444
Site: www.viveiros.com.br
Twitter: @RVComunicacao
Facebook: Ricardo Viveiros Oficina de Comunicação

sisu1

Aumento de vagas do Sisu para rede pública pode gerar melhoria na educação oferecida pelo Estado, aponta especialista

Data: 9 de fevereiro de 2015

Primeira edição do Sisu 2015 tem 40% das vagas destinadas a estudantes da rede pública….

Primeira edição do Sisu 2015 tem 40% das vagas destinadas a estudantes da rede pública. Até 2016,  instituições devem atingir 50%.

20 de janeiro de 2015 – Desde segunda-feira (19), estudantes do Brasil inteiro já podem se inscrever no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que adota a nota do Enem como critério para ingresso no Ensino Superior. A primeira edição de 2015 do Sisu tem 40% das vagas – 82.879 –  reservadas a quem tenha cursado todo o Ensino Médio em escolas públicas e a meta é que até 2016 o percentual seja de 50%.

“O cumprimento das metas pode gerar uma demanda ainda maior, porque a escola pública conseguiu atrair e manter um grande número de alunos, o que hoje é um desafio por toda a dinâmica e estrutura das escolas. Isso pode resultar, ainda, na melhora  da qualidade do ensino oferecido pela rede pública”, observa a gerente educacional e coordenadora da equipe de assessoria pedagógica da Editora FTD, Viviane Flores.

Para ela, a adesão das universidades ao Sisu tem sido gradativa, mas ainda lenta. “Isso tem gerado a migração de muitos estudantes em busca de vagas em universidades em outros estados. Em princípio, não afeta a mobilização de universidades mais procuradas para valorização das cotas, mas, de certa forma, estão sendo descobertas outras boas universidades no Brasil, antes desconhecidas porque os estudantes preferiam as instituições próximas aos seus domicílios”, diz.

 

Editora FTD

Assessoria de Imprensa: Ricardo Viveiros – Oficina de Comunicação.
Gerente de Contas: Ana Claudia Bellintane
ana.claudia@viveiros.com.br
Atendimento: Mariana Velozo
mariana.velozo@viveiros.com.br
Tel.: (11) 3675-5444
Site: www.viveiros.com.br